Capítulo 11

Spring MVC

"Um homem pinta com seu cérebro e não com suas mãos."

Nesse capítulo, você aprenderá:

11.1 - Porque precisamos de frameworks MVC?

Quando estamos desenvolvendo aplicações, em qualquer linguagem, queremos nos preocupar com infraestrutura o mínimo possível. Isso não é diferente quando trabalhamos com uma aplicação Web. Imagine termos que lidar diretamente com o protocolo HTTP a todo momento que tivermos que desenvolver uma funcionalidade qualquer. Nesse ponto, os containers e a API de Servlets encapsulam o protocolo para que não precisemos lidar diretamente com ele, mas mesmo assim existe muito trabalho repetitivo que precisamos fazer para que possamos desenvolver nossa lógica.

Um exemplo desse trabalho repetitivo que fazíamos era a conversão da data. Como o protocolo HTTP sempre interpreta tudo como texto, é preciso transformar essa data em um objeto do tipo Calendar. Mas sempre que precisamos de uma data temos essa mesma conversão usando a SimpleDateFormat.

Outro exemplo é, que para gravarmos um objeto do tipo Contato, precisamos pegar na API de Servlets parâmetro por parâmetro para montar um objeto do tipo Contato invocando os setters adequados.

Não seria muito mais fácil que nossa lógica recebesse de alguma forma um objeto do tipo Contato já devidamente populado com os dados que vieram na requisição? Nosso trabalho seria apenas, por exemplo invocar o ContatoDao passando o Contato para ser adicionado.

O grande problema é que estamos atrelados a API de Servlets que ainda exige muito trabalho braçal para desenvolvermos nossa lógica. E, justamente para resolver esse problema, começaram a surgir os frameworks MVC, com o objetivo de diminuir o impacto da API de Servlets em nosso trabalho e fazer com que passemos a nos preocupar exclusivamente com a lógica de negócios, que é o código que possui valor para a aplicação.

11.2 - Um pouco de história

Logo se percebeu que o trabalho com Servlets e JSPs puros não era tão produtivo e organizado. A própria Sun começou a fomentar o uso do padrão MVC e de patterns como Front Controller. Era muito comum as empresas implementarem esses padrões e criarem soluções baseadas em mini-frameworks caseiros.

Mas logo se percebeu que o retrabalho era muito grande de projeto para projeto, de empresa para empresa. Usar MVC era bem interessante, mas reimplementar o padrão todo a cada projeto começou a ser inviável.

O Struts foi um dos primeiros frameworks MVC com a ideia de se criar um controlador reutilizável entre projetos. Ele foi lançado no ano 2000 com o objetivo de tornar mais simples a criação de aplicações Web com a linguagem Java ao disponibilizar uma série de funcionalidades já prontas.

Isso fez com que muitas pessoas o utilizassem para desenvolver suas aplicações, tornando-o rapidamente a principal solução MVC no mercado Java. Uma das consequências disso é que hoje em dia ele é um dos mais utilizados no mercado.

No entanto, hoje, ele é visto como um framework que demanda muito trabalho, justamente por ter sido criado há muito tempo, quando muitas das facilidades da linguagem Java ainda não existiam.

Por isso surgiram outros frameworks MVC. A comunidade do Struts, por exemplo, uniu forças com a de outro framework que começava a ganhar espaço no mercado, que era o WebWork. Ambas as comunidades se fundiram e desenvolveram o Struts 2, que vem a ser uma versão mais simples de se trabalhar do que o Struts 1, e com ainda mais recursos e funcionalidades.

Um dos frameworks mais famosos na mercado é o Spring MVC. Spring é um framework que inicialmente não foi criado para o desenvolvimento web. Na essência o Spring é um container leve que visa fornecer serviços para sua aplicação como por exemplo o gerenciamento de objetos ou transação. Mas com o tempo a comunidade Spring entendeu que o Struts era ultrapassado e começou criar um framework MVC próprio. O Spring MVC é um framework moderno que usa os recursos atuais da linguagem além de usar todo poder do container Spring. Nesse capítulo veremos as funcionalidades desse framework poderoso.

Struts 1

Embora bastante antigo, o Struts 1 ainda é usado em muitas empresas. Os conceitos e fundamentos são muito parecidos entre as versões, mas a versão antiga é mais trabalhosa e possui formas particulares de uso.

Struts 2

Apesar do nome famoso, o Struts 2 nunca foi tão utilizado quanto o Struts 1. Enquanto o Struts 1 era pioneiro na época e se tornou o padrão no desenvolvimento web Java, o Struts 2 era uma escolha entre vários frameworks MVC que ofereciam as mesmas facilidades.

Você pode também fazer o curso FJ-21 dessa apostila na Caelum

Querendo aprender ainda mais sobre Java na Web e Hibernate? Esclarecer dúvidas dos exercícios? Ouvir explicações detalhadas com um instrutor?
A Caelum oferece o curso FJ-21 presencial nas cidades de São Paulo, Rio de Janeiro e Brasília, além de turmas incompany.

Consulte as vantagens do curso Java para Desenvolvimento Web.

11.3 - Configurando o Spring MVC

Para que possamos aprender o Spring MVC, vamos criar um sistema de lista de tarefas. E o primeiro passo que precisamos dar é ter o Spring MVC para adicionarmos em nossa aplicação. Spring MVC vem junto com as bibliotecas do framework Spring que podemos encontrar no site http://springsource.org. Lá, é possível encontrar diversas documentações e tutoriais, além dos JARs do projeto.

Uma vez que adicionamos os JARs do Spring MVC em nosso projeto dentro do diretório WEB-INF/lib, precisamos declarar um Servlet, que fará o papel de Front Controller da nossa aplicação, recebendo as requisições e as enviando às lógicas corretas. Para declararmos a Servlet do Spring MVC, basta adicionarmos no web.xml da nossa aplicação:

<servlet>
      <servlet-name>Spring MVC Dispatcher Servlet</servlet-name>
      <servlet-class>
          org.springframework.web.servlet.DispatcherServlet
      </servlet-class>
      <init-param>
          <param-name>contextConfigLocation</param-name>
          <param-value>
              /WEB-INF/spring-context.xml
          </param-value>
      </init-param>
      <load-on-startup>1</load-on-startup>
  </servlet>

  <servlet-mapping>
      <servlet-name>Spring MVC Dispatcher Servlet</servlet-name>
      <url-pattern>/</url-pattern>
</servlet-mapping>

Repare que é uma configuração normal de Servlet, com servlet-class e url-pattern, como as que fizemos antes. Tem apenas um elemento novo, o init-param. Este parâmetro é uma configuração que pode ser passada para o servlet pelo web.xml. Aqui definimos o nome do arquivo de configuração do framework Spring, o spring-context.xml. Quando o Servlet é carregado, ele vai procurar esse spring-context.xml dentro da pasta WEB-INF.

XML específico do Spring

O framework Spring possui sua própria configuração XML. O Spring, por ser muito mais do que um controlador MVC, poderia ser utilizado em ambientes não Web, ou seja nem sempre o Spring pode se basear no web.xml. Por este motivo, mas não somente este, o Spring definiu o seu próprio XML com várias opções para configurar a aplicação.

A primeira coisa que faremos nesse arquivo é habilitar o uso de anotações do Spring MVC e configurar pacote base da aplicação web para o Spring achar as nossas classes:

<mvc:annotation-driven />
<context:component-scan base-package="br.com.caelum.tarefas" />

Além disso, é preciso informar ao Spring o local onde colocaremos os arquivos JSP. Para isso Spring MVC oferece uma classe especial que recebe o nome da pasta dos JSPs e a extensão dos arquivos. Vamos criar todos os JSPs na pasta /WEB-INF/views/:

<bean 
    class="org.springframework.web.servlet.view.InternalResourceViewResolver">
    <property name="prefix" value="/WEB-INF/views/"/>
    <property name="suffix" value=".jsp"/>
</bean>

Isso já é suficiente para começar com o Spring MVC. O arquivo completo, com todos os cabeçalhos, fica então como:

<?xml version="1.0" encoding="UTF-8"?>
<beans xmlns="http://www.springframework.org/schema/beans"
  xmlns:xsi="http://www.w3.org/2001/XMLSchema-instance"
  xmlns:context="http://www.springframework.org/schema/context"
  xmlns:mvc="http://www.springframework.org/schema/mvc"
  xsi:schemaLocation="http://www.springframework.org/schema/mvc 
    http://www.springframework.org/schema/mvc/spring-mvc-3.0.xsd
    http://www.springframework.org/schema/beans 
    http://www.springframework.org/schema/beans/spring-beans-3.0.xsd
    http://www.springframework.org/schema/context 
    http://www.springframework.org/schema/context/spring-context-3.0.xsd">

  <context:component-scan base-package="br.com.caelum.tarefas" />
  <mvc:annotation-driven />

  <bean class="org.springframework.web.servlet.view.InternalResourceViewResolver">
    <property name="prefix" value="/WEB-INF/views/"/>
    <property name="suffix" value=".jsp"/>
  </bean>

</beans>

11.4 - Criando as lógicas

No nosso framework MVC que desenvolvemos anteriormente, para criarmos nossas lógicas, criávamos uma classe que implementava uma interface. Existem diversas abordagens seguidas pelos frameworks para possibilitar a criação de lógicas. Passando por declaração em um arquivo XML, herdando de alguma classe do framework e, a partir do Java 5, surgiram as anotações, que são uma forma de introduzir metadados dentro de nossas classes.

O Spring MVC permite criar as lógicas de formas diferentes, usando convenções ou declarar tudo no XML, porém na versão 3 a maneira indicada é utilizando anotações.

11.5 - A lógica Olá Mundo!

Para criarmos nossa primeira lógica, vamos criar uma classe chamada OlaMundoController. Nela vamos colocar métodos que são as ações (Action). O sufixo Controller não é obrigatório para o Spring MVC porém é uma convenção do mercado. Como utilizaremos Spring MVC baseado em anotações, é obrigatório que o seu Controller esteja dentro do pacote br.com.caelum.tarefas ou em um subpacote. No nosso caso, criaremos a classe dentro do pacote: br.com.caelum.tarefas.controller.

Dentro dessa nossa nova classe, vamos criar um método que imprimirá algo no console e, em seguida, irá redirecionar para um JSP com a mensagem "Olá mundo!". A classe deve ser anotada com @Controller, uma anotação do Spring MVC. Ela indica ao Spring que os métodos dessa classe são ações(Action). Podemos criar um método de qualquer nome dentro dessa classe, desde que ele esteja com a anotação @RequestMapping. A anotação @RequestMapping recebe um atributo chamado value que indica qual será a URL utilizada para invocar o método, como esse atributo já é o padrão não precisamos definir. Portanto, se colocarmos o valor olaMundoSpring acessaremos o método dentro do nosso @Controller pela URL http://localhost:8080/fj21-tarefas/olaMundoSpring.

Vamos chamar o método execute, mas novamente poderia ser qualquer nome. Esse método deve retornar uma String que indica qual JSP deve ser executado após a lógica. Por exemplo, podemos retornar "ok" para enviar o usuário para uma página chamada ok.jsp. O método nao deve retornar o sufixo da página, já que isso foi configurado no XML do Spring. Também lembrando que o Spring MVC procura as páginas JSP dentro da pasta WEB-INF/views.

Dessa forma, teríamos a seguinte classe:

@Controller
public class OlaMundoController {

  @RequestMapping("/olaMundoSpring")
  public String execute() {
      System.out.println("Executando a lógica com Spring MVC");
      return "ok";
  }
}

Um ponto importante a se notar é que podemos criar outros métodos que respondam por outras URL's, ou seja, vários ações dentro dessa classe (dentro do mesmo @Controller). Bastaria que nós utilizássemos novamente a anotação @RequestMapping esses métodos.

Por fim, só precisamos criar o JSP que mostrará a mensagem "Olá mundo!". Basta criar o arquivo ok.jsp dentro da pasta WEB-INF/views/, que mapeamos anteriormente no XML do Spring.

O JSP terá o seguinte conteúdo:

<html>
  <body>
    <h2>Olá mundo com Spring MVC!</h2>
  </body>
</html>

Podemos acessar nosso método pela URL http://localhost:8080/fj21-tarefas/olaMundoSpring. O que acontece é que após a execução do método o Spring MVC verifica qual foi o resultado retornado pelo seu método e procura despachar a requisição para a página indicada.

Tire suas dúvidas no novo GUJ Respostas

O GUJ é um dos principais fóruns brasileiros de computação e o maior em português sobre Java. A nova versão do GUJ é baseada em uma ferramenta de perguntas e respostas (QA) e tem uma comunidade muito forte. São mais de 150 mil usuários pra ajudar você a esclarecer suas dúvidas.

Faça sua pergunta.

11.6 - Para saber mais: Configurando o Spring MVC em casa

Caso você esteja em casa, faça o download do Spring Framework e use apenas os seguintes JARs na sua aplicação:

11.7 - Exercícios: Configurando o Spring MVC e testando a configuração

  1. Vamos configurar o Spring MVC em um novo projeto.

    1. Crie um novo projeto web: File -> New -> Project... -> Dynamic Web Project chamado fj21-tarefas. Caso a versão do Dynamic web module esteja com 3.0 selecione 2.5.
    2. Na aba Servers, clique com o botão direito no Tomcat e vá em Add and Remove...:
    3. Basta selecionar o nosso projeto fj21-tarefas e clicar em Add:
    4. Vamos começar importando as classes que serão necessárias ao nosso projeto, como o modelo de Tarefas e o DAO.
      • Clique com o botão direito no projeto fj21-tarefas e escolha a opção Import.
      • Selecione General -> Archive File
      • Escolha o arquivo projeto-tarefas.zip que está em Desktop/Caelum/21 e confirme a importação.
    5. Abra o arquivo web.xml para fazermos a declaração do servlet do Spring MVC:
      <servlet>
        <servlet-name>springmvc</servlet-name>
        <servlet-class>
          org.springframework.web.servlet.DispatcherServlet
        </servlet-class>
        <init-param>
          <param-name>contextConfigLocation</param-name>
          <param-value>
            /WEB-INF/spring-context.xml
          </param-value>
        </init-param>
        <load-on-startup>1</load-on-startup>
      </servlet>
      
      <servlet-mapping>
        <servlet-name>springmvc</servlet-name>
        <url-pattern>/</url-pattern>
      </servlet-mapping>
      
  2. Vamos fazer um simples Olá Mundo, para testarmos nossa configuração:

    1. Crie uma nova classe chamada OlaMundoController no pacote br.com.caelum.tarefas.controller
    2. Adicione nessa classe o seguinte conteúdo:
      @Controller
      public class OlaMundoController {
      
        @RequestMapping("/olaMundoSpring")
        public String execute() {
            System.out.println("Executando a lógica com Spring MVC");
            return "ok";
        }
      }
      
      Dica: Use Ctrl+Shift+O para importar as classes.
    3. Precisamos preparar a camada de visualização. Crie uma pasta views para nossos JSPs que deve ficar dentro da pasta WebContent/WEB-INF.
    4. Falta o JSP que será exibido após a execução da nossa lógica. Crie o JSP ok.jsp no diretório WebContent/WEB-INF/views do projeto com o conteúdo:
      <html>
        <body>
          <h2>Olá mundo com Spring MVC!</h2>
        </body>
      </html>
      
    5. Reinicie o Tomcat e acesse no seu navegador o endereço http://localhost:8080/fj21-tarefas/olaMundoSpring. O resultado deve ser algo parecido com:olaMundoSpring.png

11.8 - Adicionando tarefas e passando parâmetros

Vamos começar a criar o nosso sistema de tarefas. Guardaremos uma descrição da tarefa, e uma indicação informando se a tarefa já foi finalizada ou não e quando foi finalizada. Esse sistema é composto pelo seguinte modelo:

public class Tarefa {
  private Long id;
  private String descricao;
  private boolean finalizado;
  private Calendar dataFinalizacao;
  
  //getters e setters
}

Vamos criar a funcionalidade de adição de novas tarefas. Para isso, teremos uma tela contendo um formulário com campos para serem preenchidos. Queremos que, ao criarmos uma nova tarefa, a mesma venha por padrão como não finalizada e, consequentemente, sem a data de finalização definida. Dessa forma, nosso formulário terá apenas o campo descricao. Podemos criar um JSP chamado formulario.jsp contendo somente o campo para descrição:

<html>
  <body>
    <h3>Adicionar tarefas</h3>
    <form action="adicionaTarefa" method="post">
      Descrição: <br />
      <textarea name="descricao" rows="5" cols="100"></textarea><br />
      
      <input type="submit" value="Adicionar">
    </form>
  </body>
</html>

O nosso form, ao ser submetido, chama uma ação, um método dentro de um @Controller que responde pela URL adicionaTarefa. Esse método precisa receber os dados da requisição e gravar a tarefa que o usuário informou na tela. Vamos chamar esse método adiciona e colocar dentro da classe TarefasController:

@Controller
public class TarefasController {

  @RequestMapping("adicionaTarefa")
  public String adiciona() {
    JdbcTarefaDao dao = new JdbcTarefaDao();
    dao.adiciona(tarefa);
    return "tarefa-adicionada";
  }
}

Mas, como montaremos o objeto tarefa para passarmos ao nosso DAO? Dentro dessa nossa classe TarefasController em nenhum momento temos um HttpServletRequest para pegarmos os parâmetros enviados na requisição e montarmos o objeto tarefa.

Uma das grandes vantagens de frameworks modernos é que eles conseguem popular os objetos para nós. Basta que de alguma forma, nós façamos uma ligação entre o campo que está na tela com o objeto que queremos popular. E com o Spring MVC não é diferente.

Essa ligação é feita através da criação de um parâmetro do método adiciona. Esse parâmetro é o objeto que deverá ser populado pelo Spring MVC com os dados que vieram da requisição. Portanto, vamos criar no nosso método um novo parâmetro chamado tarefa:

@Controller
public class TarefasController {

  @RequestMapping("adicionaTarefa")
  public String adiciona(Tarefa tarefa) {
    JdbcTarefaDao dao = new JdbcTarefaDao();
    dao.adiciona(tarefa);
    return "tarefa-adicionada";
  }
}

Queremos que o campo de texto que criamos no nosso formulário preencha a descrição dessa tarefa. Para fazermos isso, basta darmos o nome com o caminho da propriedade que queremos definir. Portanto, se dentro do objeto tarefa queremos definir a propriedade descricao, basta nomearmos o input com descricao. O Spring MVC cria o objeto tarefa para nós e preenche esse objeto com os dados da requisição, nesse caso com o parâmetro descricao da requisição. Como a classe Tarefa é um JavaBean e possui construtor sem argumentos e getters/setters isso não será problema.

Por fim, basta exibirmos a mensagem de confirmação de que a criação da tarefa foi feita com sucesso. Criamos o arquivo tarefa-adicionada.jsp com o seguinte conteúdo HTML:

<html>
  <body>
    Nova tarefa adicionada com sucesso!
  </body>
</html>

Melhorar a organização dos arquivos JSPs

A nossa aplicação terá várias páginas relacionadas com uma ou mais tarefas. Queremos organizar a nossa aplicação desde início e separar os arquivos JSPs relacionadas em subpastas. Ou seja, todas as páginas JSP relacionadas com o modelo tarefa ficarão na pasta tarefa. Por isso, vamos criar uma nova pasta tarefa dentro da pasta WEB-INF/views para os JSPs que o TarefasController vai usar. Por padrão, o Spring MVC não procura em subpastas, procura apenas na pasta views. Vamos mudar o retorno do método adiciona e devolver o nome da subpasta e o nome da página JSP. Nesse caso o retorno fica como tarefa/adicionada.

Por tanto, o código completo do método adiciona fica:

@Controller
public class TarefasController {

  @RequestMapping("adicionaTarefa")
  public String adiciona(Tarefa tarefa) {
    JdbcTarefaDao dao = new JdbcTarefaDao();
    dao.adiciona(tarefa);
    return "tarefa/adicionada";
  }
}

Na pasta WEB-INF/views/tarefa também deve ficar o formulário para adicionar uma tarefa. Como discutimos antes, todos os JSPs da tarefa na mesma subpasta. Porém aqui surge um novo problema: É preciso carregar o JSP no navegador, mas o acesso direto ao pasta WEB-INF é proibido pelo servlet-container e consequentemente não é possível acessar o formulário. Para resolver isso vamos criar uma nova ação (um novo método) dentro da classe TarefasController que tem a finalidade de chamar o formulário apenas. O método usa também a anotação @RequestMappping e retorna um String para chamar o formulário.

Abaixo o código completo do TarefasController com os dois métodos:

@Controller
public class TarefasController {

  @RequestMapping("novaTarefa")
  public String form() {
    return "tarefa/formulario";
  }

  
  @RequestMapping("adicionaTarefa")
  public String adiciona(Tarefa tarefa) {
    JdbcTarefaDao dao = new JdbcTarefaDao();
    dao.adiciona(tarefa);
    return "tarefa/adicionada";
  }
}

A estrutura das pasta WEB-INF fica como:

WEB-INF
  -views
     -tarefa
         -formulario.jsp
         -adicionada.jsp

Para chamar o formulário usaremos a URL: http://localhost:8080/fj21-tarefas/novaTarefa

Nova editora Casa do Código com livros de uma forma diferente

Editoras tradicionais pouco ligam para ebooks e novas tecnologias. Não conhecem programação para revisar os livros tecnicamente a fundo. Não têm anos de experiência em didáticas com cursos.
Conheça a Casa do Código, uma editora diferente, com curadoria da Caelum e obsessão por livros de qualidade a preços justos.

Casa do Código, ebook com preço de ebook.

11.9 - Exercícios: Criando tarefas

Vamos criar o formulário e nossa ação para fazer a gravação das tarefas.

  1. O primeiro passo é criar nosso formulário para adicionar uma tarefa. Para isso crie uma pasta tarefa dentro da pasta WebContent/WEB-INF/views Dentro da pasta tarefa adicione um novo arquivo formulario.jsp.

    <html>
      <body>
        <h3>Adicionar tarefas</h3>
        <form action="adicionaTarefa" method="post">
          Descrição: <br />
          <textarea name="descricao" rows="5" cols="100"></textarea><br />
          <input type="submit" value="Adicionar">
        </form>
      </body>
    </html>
    
  2. Agora precisamos um método (action) dentro de um @Controller para acessar o JSP. Crie uma nova classe no pacote br.com.caelum.tarefas.controller chamada TarefasController.

    Nossa classe precisa ter um método para acessar o JSP. Vamos chamar o método form() e usar a anotação @RequestMapping:

    @Controller
    public class TarefasController {
    
      @RequestMapping("novaTarefa")
      public String form() {
        return "tarefa/formulario";
      }
    
    }
    

    Use Ctrl+Shift+O para importar as classes.

  3. Ainda falta o método que realmente adiciona a tarefa no banco de dados. Esse método é chamado pelo nosso formulário e recebe uma tarefa como parâmetro. Ele novamente usa a anotação @RequestMapping para definir a URL.

    Dentro da classe TarefasController crie o método adiciona que recebe uma tarefa. No método usamos a JdbcTarefaDao para persistir os dados. O retorno do método define o local e nome do JSP.

    O código deve ficar:

    @RequestMapping("adicionaTarefa")
    public String adiciona(Tarefa tarefa) {
      JdbcTarefaDao dao = new JdbcTarefaDao();      
      dao.adiciona(tarefa);
      return "tarefa/adicionada";
    }
    
  4. E, por fim, criamos o arquivo adicionada.jsp na pasta tarefa que mostrará uma mensagem de confirmação de que a tarefa foi efetivamente adicionada.

    <html>
      <body>
        Nova tarefa adicionada com sucesso!
      </body>
    </html>
    
  5. Reinicie o Tomcat.

    Acesse no seu navegador o endereço http://localhost:8080/fj21-tarefas/novaTarefa e adicione uma nova tarefa.

    formulario-tarefa.pngtarefa-adicionada.png

    Caso aconteça uma exceção informando que a tabela não está criada, crie-a com o script abaixo e tente inserir novamente a tarefa. Abra o terminal e digite:

    mysql -u root
    
    use fj21;
    
    create table tarefas (
      id BIGINT NOT NULL AUTO_INCREMENT,
      descricao VARCHAR(255),
      finalizado BOOLEAN,
      dataFinalizacao DATE,
      primary key (id)
    );
    

11.10 - Incluindo validação no cadastro de tarefas

Já conseguimos adicionar novas tarefas em nossa aplicação. Porém, o que impede algum usuário desatento incluir uma tarefa sem descrição? Até agora, nada. Nós queremos que um usuário não seja capaz de adicionar uma tarefa sem descrição, para isso precisamos incluir algum mecanismo de validação em nossa ação de adicionar tarefas. A validação deve ser executada no lado do servidor, afim de garantir que os dados serão validados em um lugar onde o usuário não consiga interferir.

Validando programaticamente

A maneira mais fácil de validar a tarefa é usar vários ifs no método adiciona da classe TarefasController antes de chamar dao.adiciona(tarefa), executando a validação programaticamente. O código seguinte mostra a ideia:

@RequestMapping("adicionaTarefa")
public String adiciona(Tarefa tarefa) {

  if(tarefa.getDescricao() == null || tarefa.getDescricao().equals("")) {
    return "tarefa/formulario";
  }

  JdbcTarefaDao dao = new JdbcTarefaDao();
  dao.adiciona(tarefa);
  return "tarefa/adicionada";
}

O problema aqui é quanto mais atributos na tarefa mais ifs teremos. É provável também que vamos repetir um if ou outro quando validarmos a tarefa em métodos diferentes, por exemplo, para adicionar ou alterar a tarefa. Sabemos que copiar e colar código não é uma boa maneira de reaproveitar código. O que precisamos é de algum artifício que seja igual para qualquer método, algo que ajude na validação dos dados.

11.11 - Validação com Bean Validation

A partir do Java EE 6 temos uma especificação que resolve este problema. A JSR 303, também conhecida como Bean Validation, define uma série de anotações e uma API para criação de validações para serem utilizadas em Java Beans, que podem ser validados agora em qualquer camada da aplicação.

Com o Bean Validation declaramos através de anotações as regras de validação dentro do nosso modelo, por exemplo, na nossa tarefa:

public class Tarefa {
  
  private Long id;

  @NotNull @Size(min=5)
  private String descricao;

  private boolean finalizado;
  private Calendar dataFinalizacao;
  
  //...
}

Pronto! Com essas anotações, qualquer objeto do tipo Tarefa pode ser validado na camada de controller. Só falta avisar o Spring MVC que realmente queremos executar a validação. Isso é feito pela anotação Valid que devemos usar na antes do parâmetro da ação:

@RequestMapping("adicionaTarefa")
public String adiciona(@Valid Tarefa tarefa) {
  JdbcTarefaDao dao = new JdbcTarefaDao();    
  dao.adiciona(tarefa);
  return "tarefa/adicionada";
}

Como estamos falando de Spring MVC, antes da chamada do método é executada a validação, ou seja será verificado se a descrição da tarefa não está vazia. Se estiver, será lançada uma exceção do tipo ConstraintViolationException que possui a descrição do erro.

Não queremos mostrar uma exceção para o usuário e sim apenas voltar para o formulário para mostrar uma mensagem que a validação falhou. O Spring MVC pode guardar o resultado (os erros de validação) em um objeto do tipo BindingResult. Assim não será lançado um exceção. Este objeto BindingResult se torna um parâmetro da ação. Então só é preciso perguntar para ele se existe um erro de validação e se existir, voltar para o formulário. Veja o código:

@RequestMapping("adicionaTarefa")
public String adiciona(@Valid Tarefa tarefa, BindingResult result) {
  
  if(result.hasFieldErrors("descricao")) {
    return "tarefa/formulario";
  }

  JdbcTarefaDao dao = new JdbcTarefaDao();
  dao.adiciona(tarefa);
  return "tarefa/adicionada";
}

No código acima verificamos se existe um de erro validação relacionado com o atributo descricao da tarefa. Também podemos conferir se existe algum erro de validação, mais genérico:

@RequestMapping("adicionaTarefa")
public String adiciona(@Valid Tarefa tarefa, BindingResult result) {
  
if(result.hasErrors()) {
  return "tarefa/formulario";
}

Mostrando as mensagens de validação

Para exibir as mensagens de validação no JSP usamos um tag especial que o Spring MVC oferece. O tag se chama form:errors:

<form:errors path="tarefa.descricao" />

O atributo path indica com que atributo essa mensagem está relacionada.

Abaixo está o código completo do formulário formulario.jsp da pasta tarefa. Repare que é preciso importar o taglib do Spring MVC:

<%@ taglib uri="http://www.springframework.org/tags/form" prefix="form" %>
<html>
<body>
  <h3>Adicionar tarefas</h3>
  <form action="adicionaTarefa" method="post">
    Descrição:
            <br/>
    <textarea rows="5" cols="100" name="descricao"></textarea> 
            <br/>     
    <form:errors path="tarefa.descricao" cssStyle="color:red"/>
            <br/>
    <input type="submit" value="Adicionar"/>
  </form>
</body>
</html>

Mensagens internacionalizadas

Para deixar as mensagens de nossa aplicação mais fáceis de alterar, é comum criar um arquivo separado do HTML que possui apenas mensagens. Este arquivo é normalmente chamado mensagens.properties ou messages.properties.

Na pasta WEB-INF do projeto podemos então criar este arquivo com o seguinte conteúdo:

tarefa.adicionada.com.sucesso=Tarefa adicionada com sucesso! 
...

Repare que definimos as mensagens em um estilo de: <chave>=<valor>.

O Spring MVC pode carregar automaticamente este arquivo, desde que a linha abaixo seja incluída no arquivo spring-context.xml:

<bean id="messageSource" class=
  "org.springframework.context.support
  .ReloadableResourceBundleMessageSource">
  <property name="basename" value="/WEB-INF/mensagens" />
</bean>

Basta então usar a taglib fmt para mostra mensagens do arquivo mensagens.properties na página HTML:

<fmt:message key="tarefa.adicionada.com.sucesso"/>

Personalizando as mensagens de erros

Podemos ainda personalizar as mensagens de validação do Bean Validation, escrevendo nossas mensagens dentro do atributo message das anotações:

public class Tarefa {
  
  private Long id;

  @NotNull(message="A descrição deve ser preenchida")
  @Size(min=5, message="Descrição deve ter pelo menos 5 carateres")
  private String descricao;
  ...

Para não deixar as mensagens de validação espalhadas em nossas classes, podemos isolar estas mensagens no arquivo padrão de mensagens do Bean Validation, chamado ValidationMessages.properties:

tarefa.descricao.vazia=Descrição deve ser preenchida!
tarefa.descricao.pequena=Descrição deve conter 
    pelo menos {min} caracteres
...

O arquivo deve ficar dentro da pasta src. Depois podemos referenciar as chaves das mensagens dentro das anotações também pelo atributo message:

public class Tarefa {
  
  private Long id;

  @NotNull(message="{tarefa.descricao.vazia}") 
  @Size(min=5, message="{tarefa.descricao.pequena}")
  private String descricao;

Já conhece os cursos online Alura?

A Alura oferece dezenas de cursos online em sua plataforma exclusiva de ensino que favorece o aprendizado com a qualidade reconhecida da Caelum. Você pode escolher um curso nas áreas de Java, Ruby, Web, Mobile, .NET e outros, com uma assinatura que dá acesso a todos os cursos.

Conheça os cursos online Alura.

11.12 - Exercícios: Validando tarefas

    • Para configurar o framework Bean Validation é preciso copiar dois jars. Primeiro, vá ao Desktop, e entre no diretório Caelum/21/jars-hibernate-validator.
    • Haverão quatro JARs: classmate-x.x.x.jar, hibernate-validator-x.x.x.Final.jar, jboss-logging-x.x.x.GA.jar e validation-api-x.x.x.Final.jar
    • Copie-os (CTRL+C) e cole-os (CTRL+V) dentro do workspace do eclipse na pasta fj21-tarefas/WebContent/WEB-INF/lib
  1. Abra a classe Tarefa. Nela é preciso definir as regras de validação através das anotações do framework Bean validation. A atributo descricao deve ter pelo menos 5 caracteres:

    public class Tarefa {
    
      private Long id;
    
      @NotNull @Size(min=5)
      private String descricao;
    
  2. Abra a classe TarefasController e procure o método adiciona. Coloque a anotação @Valid na frente do parâmetro Tarefa tarefa e adicione o parâmetro BindingResult na assinatura do método.

    Além disso, no mesmo método, adicione a verificação se há erros de validação. O método completo fica:

    @RequestMapping("adicionaTarefa")
    public String adiciona(@Valid Tarefa tarefa, BindingResult result) {
      
      if(result.hasFieldErrors("descricao")) {
        return "tarefa/formulario";
      }    
    
      JdbcTarefaDao dao = new JdbcTarefaDao();
      dao.adiciona(tarefa);
      return "tarefa/adicionada";
    }
    
  3. Abra o JSP formulario.jsp (da pasta WEB-INF/views/tarefa). Adicione no início da página a declaração da taglib do Spring MVC:

    <%@ taglib uri="http://www.springframework.org/tags/form" prefix="form" %>
    

    Dentro do HTML adicione a tag form:errors acima do tag form. Adicione apenas o tag form:errors:

    <form:errors path="tarefa.descricao"/>
    <form action="adicionaTarefa" method="post">
    
  4. Reinicie o Tomcat e acesse no seu navegador o endereço http://localhost:8080/fj21-tarefas/novaTarefa Envie uma requisição SEM preencher a descrição da tarefa, a mensagem de validação deve aparecer.

    validacao.png

11.13 - Listando as tarefas e disponibilizando objetos para a view

Como já conseguimos adicionar tarefas em nossa aplicação, precisamos saber o que foi adicionado. Para isso precisamos criar uma nova funcionalidade que lista as tarefas. A função dessa ação será invocar o JdbcTarefaDao para conseguir a lista das tarefas que estão no banco de dados. Podemos adicionar um novo método dentro da classe TarefasController:

@RequestMapping("listaTarefas")
public String lista() {
  JdbcTarefaDao dao = new JdbcTarefaDao();
  List<Tarefa> tarefas = dao.lista(); 
  return "tarefa/lista";
}

Essa lista de tarefas deverá ser disponibilizada para o JSP fazer sua exibição. Para que possamos disponibilizar um objeto para o JSP, temos que alterar o retorno do método lista. A ideia é que o Spring MVC não só recebe o nome da página JSP (tarefa/lista) quando chama o método lista, o Spring MVC também recebe os dados para o JSP. Os dados para a exibição na tela e o nome da página JSP foram encapsulados pelo Spring MVC em uma classe especial que se chama ModelAndView. Vamos criar um objeto do tipo ModelAndView e preencher esse modelo com nossa lista de tarefas e definir o nome da página JSP. O método lista deve retornar esse objeto, não mais apenas um String. Veja como fica o código:

@RequestMapping("listaTarefas")
public ModelAndView lista() {
  JdbcTarefaDao dao = new JdbcTarefaDao();
  List<Tarefa> tarefas = dao.lista(); 

  ModelAndView mv = new ModelAndView("tarefa/lista");
  mv.addObject("tarefas", tarefas);
  return mv;
}

Dessa forma, será disponibilizado para o JSP um objeto chamado tarefas que pode ser acessado via Expression Language como ${tarefas}. Poderíamos em seguida iterar sobre essa lista utilizando a Tag forEach da JSTL core.

Vendo o código da ação lista pode aparecer estranho instanciar uma classe do framework Spring (ModelAndView) dentro do nosso controlador. Isso até influencia negativamente a testabilidade do método. Por isso, O Spring MVC dá uma outra opção, oferece uma alternativa ao uso da classe ModelAndView. Na nossa ação podemos receber um objeto que representa o modelo para o nosso JSP. Spring MVC pode passar um parâmetro para o método do controlador que tem a função do modelo. Esse modelo podemos preencher com a lista de tarefas. Assim também continuaremos devolver uma String como retorno do método que indica o caminho para o JSP:

@RequestMapping("listaTarefas")
public String lista(Model model) {
  JdbcTarefaDao dao = new JdbcTarefaDao();
  List<Tarefa> tarefas = dao.lista(); 
  model.addAttribute("tarefas", tarefas);
  return "tarefa/lista";
}

Dessa maneira não é preciso instanciar o modelo, e sim apenas disponibilizar a lista.

11.14 - Exercícios: Listando tarefas

  1. Vamos criar a listagem das nossas tarefas mostrando se a mesma já foi finalizada ou não.

    1. Na classe TarefasController adicione o método lista que recebe um Model como parâmetro:
      @RequestMapping("listaTarefas")
      public String lista(Model model) {
        JdbcTarefaDao dao = new JdbcTarefaDao();
        model.addAttribute("tarefas", dao.lista());
        return "tarefa/lista";
      }
      
    2. Para fazer a listagem, vamos precisar da JSTL (iremos fazer um forEach), portanto precisamos importá-la. Primeiro, vá ao Desktop, e entre no diretório Caelum/21/jars-jstl.
    3. Haverão dois JARs, javax.servlet.jsp.jstl-x.x.x.jar e javax.servlet.jsp.jstl-api-x.x.x.jar.
    4. Copie-os (CTRL+C) e cole-os (CTRL+V) dentro do workspace do eclipse na pasta fj21-tarefas/WebContent/WEB-INF/lib
    5. No Eclipse, dê um F5 no seu projeto. Pronto, a JSTL já está em nosso projeto.
    6. Crie o JSP que fará a exibição das tarefas dentro da pasta WebContent/WEB-INF/views/tarefa. Chame-o de lista.jsp e adicione o seguinte conteúdo:
      <%@ taglib uri="http://java.sun.com/jsp/jstl/core" prefix="c" %>
      <%@ taglib uri="http://java.sun.com/jsp/jstl/fmt" prefix="fmt" %>
      <html>
      <body>
        
        <a href="novaTarefa">Criar nova tarefa</a> 
      
        <br /> <br />        
      
        <table>
        <tr>
          <th>Id</th>
          <th>Descrição</th>
          <th>Finalizado?</th>
          <th>Data de finalização</th>
        </tr>
        <c:forEach items="${tarefas}" var="tarefa">
          <tr>
            <td>${tarefa.id}</td>
            <td>${tarefa.descricao}</td>
            <c:if test="${tarefa.finalizado eq false}">
              <td>Não finalizado</td>
            </c:if>
            <c:if test="${tarefa.finalizado eq true}">
              <td>Finalizado</td>
            </c:if>
            <td>
              <fmt:formatDate 
                value="${tarefa.dataFinalizacao.time}" 
                pattern="dd/MM/yyyy"/>
            </td>
          </tr>
        </c:forEach>
        </table>
      </body>
      </html>
      
    7. Reinicie o Tomcat e acesse o endereço http://localhost:8080/fj21-tarefas/listaTarefas e veja o resultado.lista-tarefas.png

Você não está nessa página a toa

Você chegou aqui porque a Caelum é referência nacional em cursos de Java, Ruby, Agile, Mobile, Web e .NET.
Faça curso com quem escreveu essa apostila.

Consulte as vantagens do curso Java para Desenvolvimento Web.

11.15 - Redirecionando a requisição para outra ação

Tarefas podem ser adicionadas por engano, ou pode ser que não precisemos mais dela, portanto, queremos removê-las. Para fazer essa remoção, criaremos um link na listagem que acabamos de desenvolver que, ao ser clicado, invocará a nova ação para a remoção de tarefas passando o código da tarefa para ser removida.

O link pode ser feito com HTML na lista de tarefas da seguinte forma:

<td><a href="removeTarefa?id=${tarefa.id}">Remover</a></td>

Podemos desenvolver um método para fazer a remoção. A lógica não possui nenhuma novidade, basta recuperarmos o parâmetro como aprendemos nesse capítulo e invocarmos o DAO para fazer a remoção:

@RequestMapping("removeTarefa")
public String remove(Tarefa tarefa) {
  JdbcTarefaDao dao = new JdbcTarefaDao();
  dao.remove(tarefa);
  return "para onde ir???";
}

A questão é: Para qual lugar redirecionar o usuário após a exclusão?

Poderíamos criar um novo JSP com uma mensagem de confirmação da remoção, mas usualmente isso não costuma ser bom, porque precisaríamos navegar até a lista das tarefas novamente caso tenhamos que remover outra tarefa. Seria muito mais agradável para o usuário que ele fosse redirecionado direto para a lista das tarefas.

Uma das formas que poderíamos fazer esse redirecionamento é enviar o usuário diretamente para a página que lista as tarefas (tarefa/lista.jsp). Mas, essa não é uma boa abordagem, porque precisaríamos, outra vez, disponibilizar a lista das tarefas para o JSP, algo que já fazemos na ação de listar as tarefas, o método lista na classe TarefasController.

Já que o método lista faz esse trabalho, poderíamos, ao invés de redirecionar a execução para o JSP, enviá-la para essa ação. Para isso, o retorno do método deve ser um pouco modificado. Vamos continuar devolvendo uma String mas essa String deve indicar que queremos chamar uma outra ação. Podemos fazer um redirecionamento na lado do servidor (forward) ou pelo navegador, no lado do cliente (redirect).

Para fazer um redirecionamento no lado do servidor basta usar o prefixo forward no retorno:

@RequestMapping("removeTarefa")
public String remove(Tarefa tarefa) {
  JdbcTarefaDao dao = new JdbcTarefaDao();
  dao.remove(tarefa);
  return "forward:listaTarefas";
}

Para fazer um redirecionamento no lado do cliente usamos o prefixo redirect:

@RequestMapping("removeTarefa")
public String remove(Tarefa tarefa) {
  JdbcTarefaDao dao = new JdbcTarefaDao();  
  dao.remove(tarefa);
  return "redirect:listaTarefas";
}

11.16 - Exercícios: Removendo e alterando tarefas

  1. Vamos fazer a funcionalidade de remoção de tarefas.

    1. Adicione no arquivo lista.jsp uma coluna com um link que ao ser clicado invocará a Action para remover tarefa.
      <td><a href="removeTarefa?id=${tarefa.id}">Remover</a></td>
      
    2. Crie um novo método remove na classe TarefasController com o código:
      @RequestMapping("removeTarefa")
      public String remove(Tarefa tarefa) {
        JdbcTarefaDao dao = new JdbcTarefaDao();
        dao.remove(tarefa);
        return "redirect:listaTarefas";
      }
      
    3. Acesse a lista de tarefas em http://localhost:8080/fj21-tarefas/listaTarefas e remova algumas tarefas.
  2. Criaremos a tela para fazer a alteração das tarefas, como por exemplo, marcá-la como finalizada e definirmos a data de finalização.

    1. Primeiro vamos criar um novo link na nossa listagem que enviará o usuário para a tela contendo os dados da tarefa selecionada:
      <td><a href="mostraTarefa?id=${tarefa.id}">Alterar</a></td>
      
    2. Vamos criar uma nova ação que dado um id, devolverá a Tarefa correspondente para um JSP, que mostrará os dados para que a alteração possa ser feita.Crie um novo método mostra na classe TarefasController:
      @RequestMapping("mostraTarefa")
      public String mostra(Long id, Model model) {
        JdbcTarefaDao dao = new JdbcTarefaDao();
        model.addAttribute("tarefa", dao.buscaPorId(id));
        return "tarefa/mostra";
      }
      
    3. Crie o JSP mostra.jsp dentro da pasta views/tarefa para mostrar a tarefa escolhida:
      <%@ taglib prefix="fmt" uri="http://java.sun.com/jsp/jstl/fmt" %>
      
      <html>
      <body>
        <h3>Alterar tarefa - ${tarefa.id}</h3>
        <form action="alteraTarefa" method="post">
      
          <input type="hidden" name="id" value="${tarefa.id}" />
        
          Descrição:<br />
          <textarea name="descricao" cols="100" rows="5">
            ${tarefa.descricao}
          </textarea>
          <br />      
      
          Finalizado? <input type="checkbox" name="finalizado" 
            value="true" ${tarefa.finalizado? 'checked' : '' }/> <br />      
      
          Data de finalização: <br />
          <input type="text" name="dataFinalizacao" 
            value="<fmt:formatDate 
            value="${tarefa.dataFinalizacao.time}" 
            pattern="dd/MM/yyyy" />"/> 
          <br />
        
          <input type="submit" value="Alterar"/>
        </form>
      </body>
      </html>
      
    4. Para o Spring MVC saber converter automaticamente a data no formato brasileiro para um Calendar é preciso usar a anotação @DateTimeFormat. Abra a classe Tarefa e adicione a anotação acima do atributo dataFinalizacao:
      @DateTimeFormat(pattern="dd/MM/yyyy")
      private Calendar dataFinalizacao;
      
    5. Falta criar um método que cuidará da alteração da tarefa. Na classe TarefasController adicione esse método:
      @RequestMapping("alteraTarefa")
      public String altera(Tarefa tarefa) {
        JdbcTarefaDao dao = new JdbcTarefaDao();
        dao.altera(tarefa);
        return "redirect:listaTarefas";
      }
      
    6. Acesse a lista de tarefas em http://localhost:8080/fj21-tarefas/listaTarefas e altere algumas tarefas.

11.17 - Desafio - Calendário

  1. Adicione o campo com calendário que fizemos no capítulo de criação de Tags em nosso projeto e utilize-o no formulário de alteração.

Seus livros de tecnologia parecem do século passado?

Conheça a Casa do Código, uma nova editora, com autores de destaque no mercado, foco em ebooks (PDF, epub, mobi), preços imbatíveis e assuntos atuais.
Com a curadoria da Caelum e excelentes autores, é uma abordagem diferente para livros de tecnologia no Brasil. Conheça os títulos e a nova proposta, você vai gostar.

Casa do Código, livros para o programador.

11.18 - Melhorando a usabilidade da nossa aplicação

Sempre que precisamos finalizar uma tarefa, precisamos entrar na tela de alteração da tarefa que queremos e escolher a data de finalização. Essa data de finalização na maioria das vezes é a própria data atual.

Para facilitar a usabilidade para o usuário, vamos adicionar um novo link na nossa tabela que se chamará "Finalizar agora". Ao clicar nesse link, uma ação será invocada para finalizarmos a tarefa no dia atual.

A questão é que não queremos navegar para lugar algum ao clicarmos nesse link. Queremos permanecer na mesma tela, sem que nada aconteça, nem seja recarregado.

Ou seja, de alguma forma precisamos mandar a requisição para a ação, mas ainda assim precisamos manter a página do jeito que ela estava ao clicar no link. Podemos fazer isso através de uma técnica chamada AJAX, que significa Asynchronous Javascript and XML.

AJAX nada mais é do que uma técnica que nos permite enviar requisições assíncronas, ou seja, manter a página que estava aberta intacta, e recuperar a resposta dessa requisição para fazermos qualquer processamento com eles. Essas respostas costumam ser XML, HTML ou um formato de transferência de dados chamado JSON (Javascript Object Notation).

Para realizarmos uma requisição AJAX, precisamos utilizar Javascript. E no curso vamos utilizar o suporte que o jQuery nos fornece para trabalhar com AJAX.

Para fazermos uma requisição para um determinado endereço com o jQuery, basta definirmos qual método utilizaremos para enviar essa requisição (POST ou GET). O jQuery nos fornece duas funções: $.post e $.get, cada uma para cada método.

Para as funções basta passarmos o endereço que queremos invocar, como por exemplo:

$.get("minhaPagina.jsp")

Nesse caso, estamos enviando uma requisição via GET para o endereço minhaPagina.jsp.

Sabendo isso, vamos criar um link que invocará uma função Javascript e fará requisição AJAX para uma ação que finalizará a tarefa:

<td><a href="#" onclick="finalizaAgora(${tarefa.id})">
  Finalizar agora
</a></td>

Vamos criar a função finalizaAgora que recebe o id da tarefa que será finalizada e a passará como parâmetro para a ação:

<script type="text/javascript">
  function finalizaAgora(id) {
    $.get("finalizaTarefa?id=" + id);
  }
</script>

Por fim, basta criarmos a nossa ação que receberá o parâmetro e invocará um método do JdbcTarefaDao para fazer a finalização da tarefa. No entanto, a requisição que estamos fazendo não gerará resposta nenhuma e nós sempre retornamos uma String o resultado que determina qual JSP será exibido. Dessa vez, não exibiremos nem um JSP e nem invocaremos outra Action. O protocolo HTTP sempre retorna um código indicando qual é o estado dessa resposta, ou seja, se foi executado com sucesso, se a página não foi encontrada, se algum erro aconteceu e assim por diante.

O protocolo HTTP define que o código 200 indica que a execução ocorreu com sucesso, portanto, vamos apenas indicar na nossa resposta o código, sem devolver nada no corpo da nossa resposta. Para setar o código da resposta programaticamente precisamos do objeto HttpServletResponse. Podemos receber a resposta HTTP como parâmetro de qualquer método que é uma ação. Com a resposta na mão podemos chamar o método setStatus(200).

Dessa forma, poderíamos ter um método na classe TarefasController para fazer a finalização da tarefa com o seguinte código:

@RequestMapping("finalizaTarefa")
public void finaliza(Long id, HttpServletResponse response) {
  JdbcTarefaDao dao = new JdbcTarefaDao();
  dao.finaliza(id);
  response.setStatus(200);
}

O primeiro parâmetro é a id da tarefa que vem através da requisição, o segundo é a resposta para setar o código HTTP.

11.19 - Utilizando AJAX para marcar tarefas como finalizadas

Através do jQuery, podemos enviar uma requisição AJAX para o servidor, e na ação vamos manipular a resposta e setar apenas o status 200. Também seria útil notificar o usuário da aplicação que a requisição finalizou com sucesso. O jQuery já fornece um jeito muito simples de implementar isso. É preciso adicionar no JavaScript uma função que é chamada quando a requisição termina com sucesso (status 200).

<script type="text/javascript">
  function finalizaAgora(id) {
    $.get("finalizaTarefa?id=" + id, function(dadosDeResposta) {
        alert("Tarefa Finalizada!");
      });
  }
</script>

Repare que $.get recebe mais uma função como parâmetro (também chamado callback de sucesso). Nela, definimos apenas um simples alert para mostrar uma mensagem ao usuário. Também é possível manipular o HTML da página dinamicamente. O jQuery oferece recursos poderosos para alterar qualquer elemento HTML dentro do navegador.

Por exemplo, podemos selecionar um elemento da página pela id e mudar o conteúdo desse elemento:

$("#idDoElementoHTML").html("Novo conteúdo HTML desse elemento");

Para o nosso exemplo, então é interessante atualizar a coluna da tarefa para indicar que ela foi finalizada:

$("#tarefa_"+id).html("Tarefa finalizada");

Leia mais sobre o jQuery na documentação:

http://api.jquery.com/jQuery.get/http://api.jquery.com/id-selector/

11.20 - Configurar o Spring MVC para acessar arquivos comuns

O controlador do Spring MVC, ou seja o servlet no web.xml, foi configurado para receber todas as requisições incluindo essas que foram enviadas para receber o conteúdo de arquivos comuns como imagens, css ou scripts. Queremos que o controlador não atenda essas requisições que não são para ações. Para isso é preciso adicionar no arquivo spring-context.xml um mapeamento que informa ao Spring MVC que ele deve ignorar todo acesso a conteúdo estático.

<mvc:default-servlet-handler/>

Agora é a melhor hora de aprender algo novo

Se você gosta de estudar essa apostila aberta da Caelum, certamente vai gostar dos novos cursos online que lançamos na plataforma Alura. Você estuda a qualquer momento com a qualidade Caelum.

Conheça a Alura.

11.21 - Exercícios: Ajax

    1. Abra o arquivo spring-context.xml e acrescente:
      <mvc:default-servlet-handler/>
      
      Na pasta WebContent crie uma nova pasta resources, vamos colocar nela tudo relativo a conteúdo estático do nosso sistema.
  1. Vamos adicionar AJAX na nossa aplicação. Para isso, utilizaremos o jQuery que precisamos importar para nosso projeto e em nossas páginas.

    1. Vá ao Desktop, e entre em Caelum/21;
    2. Copie o diretório js e cole-os dentro de WebContent/resources no seu projeto fj21-tarefas; Caso você esteja em casa, faça o download em http://jquery.com/download
    3. Precisamos importar o jQuery em nossa página de listagem. Para isso, adicione logo após a Tag <html> o seguinte código no arquivo lista.jsp:
      <head>
        <script type="text/javascript" src="resources/js/jquery.js"></script>
      </head>
      
    4. Pronto, importamos o jQuery para nossa aplicação.
  2. Caso a tarefa não esteja finalizada, queremos que ela possua uma nova coluna que se chamará "Finalizar agora". Ao clicar, chamaremos via AJAX uma Action que marcará a tarefa como finalizada e a data de hoje será marcada como a data de finalização da mesma.

    1. Altere a coluna que mostra a tarefa como não finalizada no arquivo lista.jsp. Adicione um link que ao ser clicada, chamará uma função Javascript passando o id da tarefa para finalizar. Também adicione uma id para cada elemento <td>.No arquivo procure o c:if para tarefas não finalizadas, altere o elemento td dentro c:if:
      <c:if test="${tarefa.finalizado eq false}">
        <td id="tarefa_${tarefa.id}">
            <a href="#" onClick="finalizaAgora(${tarefa.id})">
            Finaliza agora!
            </a>
        </td>
      </c:if>
      
    2. Crie a função Javascript finalizaAgora para chamar a ação que criaremos a seguir via uma requisição POST:
      <!-- Começo da página com o import do Javascript -->
      <body>
        <script type="text/javascript">
          function finalizaAgora(id) {
            $.post("finalizaTarefa", {'id' : id}, function() {
              // selecionando o elemento html através da 
              // ID e alterando o HTML dele 
              $("#tarefa_"+id).html("Finalizado");
            });
          }
        </script>
      
        <a href="novaTarefa">Criar nova tarefa</a>
        <br /> <br />
      
        <table>
        <!-- Resto da página com a tabela -->
      
  3. Vamos criar o método para finalizar a tarefa. Após o mesmo ser executado, ele não deverá nos redirecionar para lugar nenhum, apenas indicar que a execução ocorreu com sucesso.

    1. Abra a classe TarefasController Adicione o método finaliza com o conteúdo:
      @RequestMapping("finalizaTarefa")
      public void finaliza(Long id, HttpServletResponse response) {
        JdbcTarefaDao dao = new JdbcTarefaDao();
        dao.finaliza(id);
        response.setStatus(200);
      }
      
    2. Acesse a listagem http://localhost:8080/fj21-tarefas/listaTarefas e clique no novo link para finalizar tarefa. A tela muda sem precisar uma atualização inteira da página.ajax-finalizar-tarefa.png
  4. (Opcional, Avançado) No mesmo estilo do exercício anterior, use o jQuery para acionar o método removeTarefa quando clicado em um botão de "excluir". Para isso, crie uma nova coluna na tabela com um link que o onClick vai chamar o endereço associado a removeTarefa, e via AJAX devemos remover a linha da tabela. Pra isso você pode usar um recurso poderoso do jQuery e pedir que seja escondida a linha de onde veio o clique:

    $(elementoHtml).closest("tr").hide();
    

    Dessa maneira você nem precisaria usar ids nas trs.

11.22 - Para saber mais: Alterando valor da data com AJAX

Agora ao finalizar nossa tarefa via AJAX o usuário tem um feedback na alteração do HTML de Não Finalizado para Finalizado. Porém todas as tarefas finalizadas possuem a coluna de data de finalização preenchidas, menos as que acabamos de finalizar.

Para resolver esse problema, de alguma forma o nosso Controller deveria passar uma data para nosso jQuery. Mas como? Uma solução possível seria escrevê-la direto no response. Algo parecido com isso:

@RequestMapping("finalizaTarefa")
public void finaliza(Long id, HttpServletResponse response) throws IOException {
  JdbcTarefaDao dao = new JdbcTarefaDao();
  dao.finaliza(id);
  Date dataDeFinalizacao = dao.buscaPorId(id).getDataFinalizacao().getTime();
  String data = new SimpleDateFormat("dd/MM/yyyy").format(dataDeFinalizacao);    
  response.getWriter().write(data);
  response.setStatus(200);
}

Resolve nosso problema mas ainda assim teríamos que ficar trabalhando direto em um camada mais baixa que são as classes de HTTPServletRequest e HTTPServletResponse. Agora além de finalizar uma tarefa nossa action tem as responsabilidades de buscar pela data finalizada, formatar a data, escrever no response e mudar o status para 200. Responsabilidade de mais, não é mesmo?

Retornar uma JSP já nos traz o benefício do status 200, necessário para nossa função de callback no jQuery. Sabendo disso usaremos uma JSP para renderizar a data formatada. Mas antes é preciso passar essa data a nossa JSP, ou simplesmente passar uma Tarefa para ela e depois fazer com que a Action retorne a String referente a JSP.

@RequestMapping("finalizaTarefa")
public void finaliza(Long id, Model model) {
  JdbcTarefaDao dao = new JdbcTarefaDao();
  dao.finaliza(id);
  model.addAttribute("tarefa", dao.buscaPorId(id));
  return "tarefa/dataFinalizada";
}

Agora só falta realmente criarmos o arquivo dataFinalizada na pasta /WEB-INF/views/tarefa e formatar a data usando a tag <fmt>.

<%@ taglib uri="http://java.sun.com/jsp/jstl/fmt" prefix="fmt" %>

<fmt:formatDate value="${tarefa.dataFinalizacao.time}" pattern="dd/MM/yyyy" />

Legal, já renderizamos uma data formatada e por consequência o status 200 é enviado para o jQuery. Só que até agora não fizemos nada com essa data que o JSP renderizou. Para que se pegue algo enviado pelo nosso servidor, a função de callback deve receber um parâmetro com esse conteúdo. Vamos executar um alert com esta variável.

<script type="text/javascript">
  function finalizaAgora(id) {
    $.post("finalizaTarefa", {'id' : id}, function(resposta) {
      $("#tarefa_"+id).html("Finalizado");
      alert(resposta);
    });
  }
</script>

A execução desse alert nos mostra a data, falta apenas inseri-la em lugar apropriado. Vamos usar a mesma estratégia que usamos para mudar de Não Finalizado para Finalizado, atrelando um id a nossa <td> referente ao campo de de data.

<td id="tarefa_data_${tarefa.id}">
  <fmt:formatDate value="${tarefa.dataFinalizacao.time}" pattern="dd/MM/yyyy" />
</td>

Fazendo isso basta trocarmos o conteúdo do <td> na função.

<script type="text/javascript">
  function finalizaAgora(id) {
    $.post("finalizaTarefa", {'id' : id}, function(resposta) {
      $("#tarefa_"+id).html("Finalizado");
      $("#tarefa_data_"+id).html(resposta);
    });
  }
</script>

O nosso desafio foi cumprido de forma elegante, mas ainda assim poderíamos melhorar o nosso código. A função de callback do AJAX tem que modificar dois <td>'s e isso tornaria repetitivo para modelos com mais alterações que a nossa Tarefa. Sabendo que a função recebe apenas um parâmetro de resposta, teríamos mais problemas ao ter que passar mais de um parâmetro a ela. Como resolver esta questão? Uma solução viável é passar a própria <tr>, completa, com as alteração necessárias. Para isso uma alteração na JSP se faz necessária.

<%@ taglib uri="http://java.sun.com/jsp/jstl/fmt" prefix="fmt" %>


<td>${tarefa.id}</td>
<td>${tarefa.descricao}</td>
<td>Finalizada</td>
<td>
  <fmt:formatDate value="${tarefa.dataFinalizacao.time}" pattern="dd/MM/yyyy" />
</td>
<td><a href="removeTarefa?id=${tarefa.id}">Remover</a></td>
<td><a href="mostraTarefa?id=${tarefa.id}">Alterar</a></td>

Uma alteração no nome do aquivo dataFinalizada.jsp seria mais do que recomendada, já que agora não possui apenas uma data e sim todas as alterações de uma <tr>. Vamos renomeá-lo para finalizada.jsp. Sem esquecer de modificar o retorno da action de tarefa/dataFinalizada para tarefa/finalizada:

@RequestMapping("finalizaTarefa")
public String finaliza(Long id, Model model) {
  ...
  return "tarefa/finalizada";
}

Agora que retornamos uma <tr> com todas as alterações vamos modificar a função de callback, para que ela apenas modifique o conteúdo da <tr> correspondente a tarefa finalizada. Para isso é preciso diferenciar um <tr> do outro. Vamos utilizar agora um id na própria <tr> e removeremos os ids desnecessários dos <td>'s.

<table>
  ...
  <c:forEach items="${tarefas}" var="tarefa">
    <tr id="tarefa_${tarefa.id}">
      <td>${tarefa.id}</td>
      <td>${tarefa.descricao}</td>
      
      <c:if test="${tarefa.finalizado eq true}">
        <td>Finalizado</td>
      </c:if>
      
      <c:if test="${tarefa.finalizado eq false}">
        <td>
          <a href="#" onClick="finalizaAgora(${tarefa.id})">
            Finalizar
          </a>
        </td>
      </c:if>
      
      <td>
        <fmt:formatDate
          value="${tarefa.dataFinalizacao.time}"
          pattern="dd/MM/yyyy" />
      </td>
      
      <td><a href="removeTarefa?id=${tarefa.id}">Remover</a></td>
      <td><a href="mostraTarefa?id=${tarefa.id}">Alterar</a></td>
      
    </tr>
    
  </c:forEach>  
  ....
  
</table>

E por último, falta mudar a função de callback para que esta modifique o conteúdo do <tr>.

...
$.post("finalizaTarefa", {'id' : id}, function(resposta) {
  $("#tarefa_"+id).html(resposta);
});
...

Agora sim, temos um código simples e fácil de manter. Tudo o que um bom programador gostaria de encontrar.

11.23 - Exercícios Opcionais: Melhorando nosso AJAX

  1. Vamos buscar uma tarefa e passá-la para nossa JSP através do Model. Abra o TarefasController.java e modifique a action que finaliza uma tarefa para o que segue:

    @RequestMapping("finalizaTarefa")
    public String finaliza(Long id, Model model) {
      JdbcTarefaDao dao = new JdbcTarefaDao();
      dao.finaliza(id);
      model.addAttribute("tarefa", dao.buscaPorId(id));
      return "tarefa/finalizada";
    }
    
  2. Agora falta criarmos o arquivo finalizada.jsp dentro do diretório: /WEB-INF/views/tarefa/. Que deverá ter o seguinte conteúdo da <tr> relacionada a tarefa finalizada.

    <%@ taglib uri="http://java.sun.com/jsp/jstl/fmt" prefix="fmt"%>
    
    
    <td>${tarefa.id}</td>
    <td>${tarefa.descricao}</td>
    <td>Finalizada</td>
    <td><fmt:formatDate value="${tarefa.dataFinalizacao.time}"
        pattern="dd/MM/yyyy" /></td>
    <td><a href="removeTarefa?id=${tarefa.id}">Remover</a></td>
    <td><a href="mostraTarefa?id=${tarefa.id}">Alterar</a></td>
    
  3. Por último devemos modificar o arquivo tarefa/lista.jsp para que ele tenha um identificador de cada linha, ou seja, elemento <tr> da tabela. De maneira análoga ao que foi feito no exercício anterior vamos concatenar com o id da tarefa um valor de tarefa_. Lembre-se de remover os ids dos outros <td>'s já que eles não serão necessários e podem estar com o mesmo nome do identificador da <tr>.

    ....
    <c:forEach items="${tarefas}" var="tarefa">
    <tr id="tarefa_${tarefa.id}">
      <td>${tarefa.id}</td>
      <td>${tarefa.descricao}</td>
      
      <c:if test="${tarefa.finalizado eq true}">
        <td>Finalizado</td>
      </c:if>
      
      <c:if test="${tarefa.finalizado eq false}">
        <td >
          <a href="#" onClick="finalizaAgora(${tarefa.id})">
            Finalizar
          </a>
        </td>
      </c:if>
      
      <td>
        <fmt:formatDate
          value="${tarefa.dataFinalizacao.time}"
          pattern="dd/MM/yyyy" />
      </td>
      ....
    </tr>
    .....
    
  4. E agora para fazer uso do conteúdo renderizado pela JSP, é necessário que a função de callback do AJAX receba como parâmetro esse conteúdo. Vamos alterar a função do finalizaAgora no mesmo arquivo lista.jsp, para o que segue:

    <script type="text/javascript">
      function finalizaAgora(id) {
        $.post("finalizaTarefa", {'id' : id}, function(resposta) {
          $("#tarefa_"+id).html(resposta);
        });
      }
    </script>
    
  5. Reinicie o servidor e verifique que agora ao clicar no link Finalizar o usuário tem a alteração tanto de Não Finalizada para Finalizada quando uma mudança na data de finalização.

Você pode também fazer o curso FJ-21 dessa apostila na Caelum

Querendo aprender ainda mais sobre Java na Web e Hibernate? Esclarecer dúvidas dos exercícios? Ouvir explicações detalhadas com um instrutor?
A Caelum oferece o curso FJ-21 presencial nas cidades de São Paulo, Rio de Janeiro e Brasília, além de turmas incompany.

Consulte as vantagens do curso Java para Desenvolvimento Web.